5 dicas para aumentar a seleção de alimentos das crianças

A fome é instintiva, mas nossa conexão com a comida não. O comportamento alimentar é aprendido em toda a vida e fatores sociais, motivacionais, ambientais e familiares. Além do próprio desenvolvimento da criança, também determina esse comportamento alimentar.

A partir dos 6 meses de idade, os bebês que recebem apenas leite materno (e / ou fórmula infantil) começam a ser inseridos em sua cultura alimentar. Mas é por volta dos 2 anos de idade, que as crianças começam a expressar mais suas escolhas. Nessa fase, as necessidades nutricionais também são reduzidas, geralmente acompanhadas de redução do apetite e do consumo. Nesta fase, até os 5 anos, as queixas relacionadas com a alimentação tornam-se mais frequentes.

Muitos pais notam que as crianças de 2 a 5 anos têm algumas preferências. Nesse contexto, se a criança só quiser usar tênis amarelo podem até achar graça, mas, se o filho só aceitar comer arroz, feijão e carne, é provável que surja um incômodo

A família é a grande referência das crianças, comece este cuidado verificando as escolhas alimentares de cada membro da família para que todos possam ser um bom exemplo para as crianças. Abaixo listei 6 dicas úteis para ampliar o cardápio de seu pequeno.

1. É importante comer com as crianças. Comer em família é um hábito que, além de ajudar a estabelecer uma relação de amizade com a comida, tende a aumentar o contato com frutas e verduras.

2. Mesmo que as crianças se recusem a comer alimentos diferentes, os pais devem manter uma dieta diversificada em um clima agradável e não devem forçar, ameaçar ou associar o comportamento alimentar a quaisquer eventos adversos.

3. Evite negociar e premiar. Melhor do que isso é envolver a criança em alguma etapa do processo, da seleção dos alimentos até o preparo, o que pode estimular o interesse das crianças e despertar boas lembranças.

4. Seja paciente e persistente.

5. Não é recomendado beliscar entre as refeições.

Cuidar de você, #IssoéCACSS