CAFÉ DA MANHÃ: QUEM PRECISA DELE?

Estudo contesta a história de que tomar café da manhã é essencial para manter a fome e o peso sob controle. Veja se é hora de rever o papel dessa refeição.

A fama dessa refeição é respaldada por vários estudos observacionais, desses que seguem as pessoas e seus hábitos por um tempo. Muitos apontam que quem adere ao café da manhã tende a ser mais magro. “Só que podem existir outras diferenças entre esses indivíduos e aqueles que pulam a refeição”, pondera Flavia. “Talvez eles tenham um padrão de alimentação mais saudável como um todo”, exemplifica.

Para tirar a história a limpo, ela e um time de colegas resolveram revisar tudo que a ciência diz a respeito. E focaram nas pesquisas que minimizavam o efeito de outros fatores do estilo de vida no peso — afinal, o foco era o café da manhã. Chegaram, então, a 13 estudos.

“Descobrimos que quem comia de manhã costumava ingerir 260 calorias extras por dia e ganhava, em média, 0,44 quilo”, revela. E sabe aquele papo de que colocar algo no estômago logo cedo aceleraria o metabolismo? Não encontraram vestígios disso.

Na revisão, também faltaram provas de que os adeptos do desjejum se tornam menos propensos a episódios de gula mais tarde — algo que ajudou a abrilhantar a reputação do café da manhã e sedimentar seu pretenso título de refeição mais importante do dia.

Te informar, #IssoéCACSS