ESCETAMINA: O QUE ESPERAR DA PRÓXIMA PROMESSA CONTRA A DEPRESSÃO!

Saiba mais sobre o novo remédio em formato de spray nasal e com ação ultrarrápida que ajuda a individualizar o tratamento da depressão.

O fármaco, que está em análise pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e deve ser liberado no Brasil nos próximos 12 a 18 meses, empolga médicos e pacientes pelo ineditismo. Os antidepressivos tradicionais, disponíveis há décadas, atuam na bioquímica cerebral interferindo em três neurotransmissores associados à sensação de bem-estar — a serotonina, a noradrenalina e a dopamina.

A nova medicação, porém, é a primeira a atuar sobre o glutamato, outra molécula da rede neural e reconhecida por estimular áreas do cérebro ligadas às emoções. Seu principal efeito é fortalecer e criar novas sinapses, as conexões entre os neurônios.

Enquanto os comprimidos demoram de duas a três semanas para trazer melhoras, a novidade mostra serviço nas primeiras 24 horas após a primeira aplicação do spray no nariz.

Por mais inovadora que seja, a escetamina não está indicada para todos os casos, muito menos substituirá as demais opções nas farmácias. Ela será prescrita, pelo menos inicialmente, apenas na depressão resistente, quando o tratamento clássico não dá conta do recado.

“Sabe-se que cerca de 30% dos pacientes não apresentam melhora nenhuma com os antidepressivos comuns”, calcula o psiquiatra Antonio Egídio Nardi, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Há a expectativa também de que o spray sirva em breve para os quadros com alto risco de suicídio, em que é preciso obter uma resposta terapêutica quanto antes.

Te informar, #IssoéCACSS