CORONAVIRUS: O QUE O CASO CONFIRMADO DE REINFECÇÃO SIGNIFICA NA PRÁTICA

Pesquisadores de Hong Kong relataram o primeiro caso confirmado de reinfecção pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), causador da Covid-19. O paciente é um homem de 33 anos que pegou o vírus, foi curado e, quatro meses depois, voltou a ser contaminado.

A confirmação veio após os pesquisadores checarem, com exames confiáveis, que o Sars-CoV-2 responsável pela segunda infecção tinha um material genético ligeiramente diferente do que havia invadido o organismo desse homem tempos antes.

Apesar de, em um primeiro momento, a notícia provocar certo pânico, não entre em desespero. “Primeiro porque essa pequena mutação não torna o Sars-CoV-2 mais perigoso do que já conhecemos”, afirma o virologista Paulo Eduardo Brandão, professor da Universidade de São Paulo (USP).

De acordo com o especialista, o resultado apenas reforça a suspeita de que a imunidade contra o coronavírus pode ter um prazo de validade. “Isso era esperado. É um padrão dos integrantes da família desse vírus”, aponta.

Em outras palavras, é possível que quem já pegou Covid-19 volte a ser infectado pelo novo coronavírus tempos depois. Mas, no momento, nem sabemos se isso é uma regra, ou exceção. É importante agora que os cientistas busquem outros casos semelhantes para tornar os dados mais robustos.

Te informar, #IssoéCACSS