Nova leva de profissionais da saúde é mais propensa ao uso das tecnologias

A geração mais jovem de profissionais da saúde do Brasil sofre com algumas lacunas no que diz respeito a competências, conhecimentos e dados não clínicos. Também apresenta níveis altos de estresse, provocado, em parte, pela baixa proporção entre médicos e pacientes.

Por outro lado, esse é um grupo mais propenso a utilizar dados digitais dos pacientes para influenciar os resultados de diagnóstico, tratamento e atendimento – os brasileiros estão acima da média.

Entre os novos profissionais de saúde 87% acreditam que a tecnologia é fundamental para obter melhores resultados para os pacientes e, para 71%, permite que eles dediquem mais tempo aos casos em si, o que, segundo 79% dos entrevistados, reduz os níveis de estresse dos trabalhadores

Essas são algumas das conclusões do relatório Future Health Index, produzido anualmente pela Philips e que, na edição de 2020, dedicou-se, pela primeira vez, às percepções dos profissionais com menos de 40 anos – grupo que vai compor a maior parte da força de trabalho do setor nos próximos 20 anos

Te informar, #IssoéCACSS