Coronavírus: o que fazer se você começar a apresentar sintomas suspeitos

No início da pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2), a orientação oficial do Ministério da Saúde era a de que a população só buscasse ajuda médica quando os sintomas graves aparecessem. Mas, com o passar do tempo e a mudança na equipe, essa recomendação mudou. O governo lançou a campanha #NãoEspere para incentivar a procura pelo atendimento assim que os primeiros sinais da Covid-19 derem as caras.

Na visão do pneumologista Gustavo Prado, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo, a ideia de se consultar com um profissional logo no surgimento dos primeiros sintomas tem duas vantagens. Em primeiro lugar, auxiliaria a mapear com mais precisão e velocidade a situação da pandemia em cada região do país.

Tem outro ponto importante: o Sars-CoV-2 pode provocar em alguns pacientes a chamada hipóxia silenciosa. A hipóxia nada mais é do que a baixa oxigenação do sangue — em geral, o quadro é acompanhado de falta de ar. Só que, no caso da Covid-19, uma parcela considerável das pessoas apresenta hipóxia sem manifestar sintomas claros até o quadro ter piorado bastante

Mas como descobrir em casa se eu estou ou não com a tal hipóxia silenciosa? Uma opção é comprar um oxímetro — aquele aparelhinho encontrado em farmácias que é colocado no dedo para medir a saturação de oxigênio no sangue. Se ele estiver marcando menos de 94%, é hora de ir ao hospital para, entre outras coisas, receber oxigênio por meio de equipamentos.

Cuidar de você, #IssoéCACSS