Covid-19: por que a perda de olfato acontece e como tratar

A perda de olfato é um dos sintomas mais característicos da contaminação pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). E, diferentemente do que se vê em outras enfermidades respiratórias (rinite, sinusite, resfriados), na Covid-19 essa falha ocorre de forma abrupta e intensa.

O otorrinolaringologista Gilberto Ulson Pizarro, do Hospital Paulista, em São Paulo, explica que a causa ainda não está totalmente clara assim, como muita coisa que envolve a Covid-19, já que a doença é nova e complexa. “Já é possível afirmar que o coronavírus afeta as células responsáveis pelo olfato e pelo paladar”, diz.

Se o sentido não retornar corretamente ou não evoluir como o esperado, os especialistas lançam mão de remédios para auxiliar na recuperação.

O quão comum é a perda de olfato na infecção pelo coronavírus?

Pizarro relata que as informações sobre a incidência divergem. Os dados divulgados em agosto do Estudo de Evolução da Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil (Epicovid19-BR), conduzido pela Universidade Federal de Pelotas (Ufpel), mostrou que 57% dos infectados relataram alteração na capacidade de sentir cheiros e gostos. Até aquele momento, os cientistas haviam entrevistado quase 90 mil pessoas pelo Brasil.

Outra pesquisa, feita pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF) e pela Academia Brasileira de Rinologia (ABR), constatou que, de 253 pacientes analisados, 90% (227) apresentaram o sintoma. Dentre eles, 53% (121) se recuperaram totalmente, 34% (76) tiveram recuperação parcial e 13% (30) não recuperaram o sentido até o fim da avaliação.

Cuidar de você, #IssoéCACSS